Informativo Eletrônico Semanal CDMC


Coordenação de Documentação de Música Contemporânea, Pesquisa, Documentação e Informação Musical.

Regras para divulgação

Regras para divulgação no informativo semanal

Enviar a descrição resumida da divulgação no corpo do e-mail com as seguintes informações: data, horário, local do evento ou notícia e ao menos um link da internet para que os leitores possam saber a fonte da notícia. Envie somente temas que envolvem música, São aceitos: Concursos, chamadas, divulgações, festivais, notícias e concertos. Enviar a informação em texto simples (sem figuras, tabelas ou anexos) para o e-mail: fwciddic@unicamp.br

Atentar-se às datas limites da sua divulgação pois, o informativo semanal sai todas às quintas-feiras, necessitando que a solicitação de divulgação seja enviada no prazo máximo de 1 dia antes da divulgação do informativo (às quartas-feiras).

Para receber/cancelar o recebimento do FWD cdmc cadastre-se pelo link: www.listas.unicamp.br/mailman/listinfo/cdmusica-l



DIVULGAÇÃO: Simpósio: A Identidade Brasileira na Música de Concerto

O Simpósio Identidade Brasileira na Música de Concerto é uma iniciativa da Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU/CIDDIC). O evento busca refletir sobre as diversas brasilidades da música de concerto nacional e os caminhos para sua difusão.

O evento será dividido em palestras e mesas de discussão envolvendo as seguintes perspectivas:

  • Estudos em musicologia e teoria da música de concerto brasileira
  • Origens, cultura e materiais nacionais
  • Estratégias de promoção e divulgação do repertório nacional
  • Questões sobre criação e performance da música vocal e instrumental brasileira

Período

4 e 5 de NOVEMBRO de 2020, quarta e quinta-feira, das 10:00 às 19:00 (entrada às 9:30).

Formato

O Simpósio “A Identidade Brasileira na Música de Concerto” será totalmente online através da plataforma ZOOM com transmissão simultânea no YouTube.

Inscrições no link:

www.bit.do/simposioidentidade

Programação completa em: https://www.ciddic.unicamp.br/ciddic/simposio-a-identidade-brasileira-na-musica-de-concerto/


Î Voltar ao topo

FESTIVAL: Festival Internacional Ubuntu Vocalis – FIUV

Vem aí o 1° Festival Internacional Ubuntu Vocalis, de 26 a 30 de outubro

“Humanidade para com os outros”, é sob essa máxima que o termo Ubuntu expressa a consciência da relação entre o indivíduo e a comunidade. Essa noção de fraternidade implica compaixão e abertura de espírito e é posta ao narcisismo e ao individualismo. Em busca do compartilhar o conhecimento e exercitar a humanidade é que foi idealizado o Festival Internacional Ubuntu Vocalis – FIUV.
O FIUV é uma iniciativa do grupo da Representação dos Cantores Negros do Fórum Brasileiro de Ópera, Dança e Música de Concerto, especialmente do representante dos cantores negros, o barítono, radicado na Grã-Bretanha, Michel de Souza, da soprano Edna D’Oliveira, da mezzo-soprano Mere Oliveira e também com o violista Iberê Carvalho, radicado na Alemanha.

O FIUVocalis conta com o apoio do CIDDIC da Universidade de Campinas – UNICAMP, sob direção do Prof. Dr. Angelo Fernandes e equipe. Nessa primeira edição enfatizará o Canto, no entanto, haverá mesas e rodas de conversa com instrumentistas, maestros e outros profissionais que compõem o universo da produção da música de concerto e da ópera.

O Festival destaca a participação dos professores negros, bem como deseja que a população negra que compõe o Brasil, e soma mais de 54% da população, sinta-se representada e privilegiada pelo evento. No total o FIUVocalis conta com mais de 50 profissionais envolvidos, entre professores de canto e interpretação, maestros, pianistas correpetidores, figurinistas, maquiadores, além de instrumentistas que participarão das mesas e rodas de discussão.

As atividades se iniciarão no dia 26 de outubro com a abertura, numa Mesa de discussões com Maestros brasileiros, e se encerrarão no dia 30 de outubro com a Mesa dos Cantores.

Informações e inscrições no site https://www.ciddic.unicamp.br/ciddic/festival-internacional-ubuntu-vocalis-fiuv/

A participação no festival é gratuita e o trabalho de todos os envolvidos é resultado de um esforço voluntário desses profissionais comprometidos com o fazer artístico, a educação e o combate às desigualdades, promovendo a diversidade e a luta antirracista.
Todas as atividades acontecerão on-line via plataforma Zoom e YouTube. O Festival, via CIDDIC-Unicamp, fornecerá certificado aos participantes.
Sou o quê sou, graças ao que somos todos nós! Ubuntu!
Inscrevam-se!


Î Voltar ao topo

FESTIVAL: Música no Museu apresenta XI RioWindsFestival – Virtual.

Apesar da longa pandemia de Covid19 que atingiu o mundo e, em especial, a área cultural,   Música no Museu orgulha-se em dar continuidade ao RioWindsFestival  agora na sua 11ª.versão. Será o maior festival de Sopros online do mundo  atraindo tantos espectadores e ouvintes na sequencia dos vitoriosos XV RioHarpFestival e V SPHarpFestival  realizados em agosto e setembro 2020 e que atingiu a mais de 200.000 espectadores através da mídia social. O Festival inspira-se na Sociedade Internacional de Palhetas Duplas, com os principais instrumentistas de todo o mundo mas agrega, também, flautistas, clarinetistas,saxofonistas.

Para o Curador desta e das versões anteriores, oboísta e compositor naturalizado brasileiro Harold Emert, “Aprendi no Brasil,  nação e  cultura que me adotaram quando entrei para a Orquestra Sinfônica Brasileira em 1973 como seu primeiro oboísta, que “quando você não se tem cão caça-se com gato¨. E se eu  e o público de Música no Museu sentiremos falta de ouvir e encontrar virtuosos  de todo o mundo pessoalmente, não podemos desistir e o uso de recursos online é o melhor.”

Maravilhosos músicos de sopros brasileiros e dos EUA, Inglaterra, Canadá, México, Alemanha, Noruega, Itália, Bélgica, Venezuela, Cuba, Uruguai serão destaque nesta versão virtual, mais um marco na  história do RioWinds.

Atenção especial ao retorno do oboé italiano/suíço Omar Zoboli pela terceira vez no Brasil,mas agora virtual, considerado o ¨Paganini do oboé¨,  a  banda de sopros nova-iorquina Kammermusiker que percorreu o mundo com um repertório renascentista, Jazztopia, da Alemanha e a surpresa dos shows gravados em casa pelos oboistas Kevin Vigneau e  família no Novo México ou William Wielgus na Virgínia, Ian Davidson com filmes de todo o mundo, e do Texas, os fagotistas Scott Pool e Richard Meek bem como Amy Gillick do Tennessee.

Dois recitais contarão com oboé e violão, incluindo Andrea Ridilla, da Universidade de Miami (Ohio) e Harold Emert e Pierre Descaves representando o Rio de Janeiro, além de incluir  o compositor do festival Ernesto  Leonbiriotti do Uruguai, oboista de 91 anos e o festival e em memória de Janet Grice, 64 anos, fagotista presença constante nas versões anteriores.

Importante ressaltar, também, a participação das orquestras Amigos da Musica, e do Núcleo de Sopros da Violões do Forte de Copacabana que fazem trabalhos de inclusão social através da música nas comunidades de Teresina-Piaui (Nordeste do Brasil) e Pavão-Pavãozinho e Babilônia no Rio de Janeiro.

Esperamos por vocês.

Sérgio da Costa e Silva

Diretor de Música no Museu e do XI RioWindsFestival.


Î Voltar ao topo

CHAMADA: Revista Vórtex

Número Temático “O violão em pauta: perspectivas atuais entrecortando passados, presentes e futuros” (em português, inglês ou espanhol)
Coordenador convidado: Dr. Humberto Amorim (UFRJ)
Prazo de submissão: 01/09/2020
http://vortex.unespar.edu.br/call_v8_n3.pdf

Dossiê “A quarter of century of Pd: past, present and future” (em inglês)
Coordenador convidado: Dr. Alexandre T. Porres.
Prazo de submissão: 01/06/2021
http://vortex.unespar.edu.br/call_v9_n2a.pdf

Dossiê “Creative practices in Sound Art” (em inglês)
Coordenador convidado: Dr. Clayton Mamedes (UFPR)
Prazo de submissão: 01/06/2021
http://vortex.unespar.edu.br/call_v9_n2b.pdf

Site: http://vortex.unespar.edu.br/


Î Voltar ao topo

CALL: CONCAVO E CONVESSO – call for scores – commissions – Concerts

http://www.concavoeconvesso.flazio.com/

participants
composers, with no age or nationality limits

rewards
three selected participants will win 1.000 euros each, for the composition of a piece for small ensemble, based on parts or all of the text La Ballata della Vucchiara, ovvero tutto il miele è finito! by R. Giura Longo (link to text extracts – the complete text, with English and French translation, will be sent to the winners);
the commissioned works will be performed in a concert which will take place in Matera in spring 2021;
the winners who will want to be present to the concert and to the last rehearsals will be offered free hospitality for three days in Matera and a maximum contribution of 200€ each for travel expenses

special reward for young local talent: a local composer (region Basiicata) of age below 35 will be rewarded 1.000 euros for the commission of a piece composed for the whole ensemble (sextet); this reward is offered by the Archivio Storiografico Raffaele Giura Longo.

selection
the winners will be chosen by an international jury based on two or three previous compositions for small ensemble, with or without text, published or unpublished, which must be sent at the moment of application;
jury’s decisions are unquestionable;
the names of the winners will be communicated by 15 of September 2020.

jury
the jury is composed by:

Vinko Globokar – president composer (Paris) bio

Michelle Agnes Magalhães composer (Brasil/Paris) bio

Mauro Lanza composer (Venice/Berlin) bio

Tim Parkinson composer (London) bio

Ernst H. Papier composer (Paris/Lausanne) bio

commission
the four selected composers will write for the musicians of the ensemble Concavo&Convesso;
they can choose scoring from trio to sextet, with all the in-between possibilities;
the duration of the piece must be limited to 15 minutes maximum;
they will be able to contact the interpreters during the whole period of composing

deadline (score and parts)  : 15th of Mars 2021

Ensemble
the ensemble Concavo&Convesso is composed of 6 musicians, famous for their activity of interpreting “adventurous” contemporary music (wandering style, which navigates among the definitions of experimental music, theatrical, minimalist, opere aperte, graphic scores, etc…)

Alessandra Giura Longo – voice, flutes (Paris/Cagliari)

Michele Lomuto – trombone (Bari)

Pierre-Stéphane Meugé – saxophones (Paris/Lausanne)

Françoise Rivalland – zarb, santour, cymbalom and unpitched skins and metals (Paris)

Silvia Tarozzi – violin (Modena)

Deborah Walker – cello (Paris/Bonn)

all the members of the ensemble can also use their voice and/or different sounding objects.

application

1) application form here or Home Page BEFORE 15th of JULY 2020

2) Maximum three scores of pieces of their own production for small ensemble, if possible with voices, published or unpublished – pdf via application form

3) 20 euros application fee to be paid – by PayPal account here or – by bank transfer to the IBAN of ARTEría association, Matera, specifying the reason: “application Concavo&Convesso”

IT94Q 05387 16101 000007000391

BIC/SWIFT : BPMOIT22XXX

__

Fellow in composition, Radcliffe Institute for Advanced Study,  Harvard University, 2017
Composer in Residence, STARTS Residencies, ISMM {Sound Music Movement Interaction} IRCAM, 2019

http://brahms.ircam.fr/michelle-agnes-magalhaes
https://soundcloud.com/michelle-agnes
michelleagnes.net


Î Voltar ao topo

CHAMADA: Trabalhos para o 6º Congresso Brasileiro de Iconografia Musical

Prezados colegas e amigos,

A Comissão Organizadora do 6º Congresso Brasileiro de Iconografia Musical, a ser realizado de 24 a 27 de maio de 2021 nas instalações da UNICAMP, em Campinas (São Paulo), Brasil, convida à submissão online de trabalhos na forma de resumo (entre 300 e 500 palavras).

Nesta 6ª edição do evento, sob a temática “IMAGEM, MÚSICA, AÇÃO: Iconografia da cultura musical e(m) seus espaços de apresentação / representação” pretende-se provocar uma série de debates e intercâmbios acadêmicos e profissionais em torno das seguintes linhas temáticas:

Linha 1: Iconografia Musical enquanto objeto de pesquisa: abordagens ontológicas, epistemológicas, teóricas, práticas, metodológicas, processuais, patrimoniais, técnicas e/ou informacionais;
Linha 2: Fronteiras e desafios transversais da iconografia musical na cultura artística e musical, canônica ou tradicional;
Linha 3: Iconografia Musical: criação, produção, circulação, recepção nas tradições culturais e/ou culturas tradicionais;
Linha 4: Transversalidades na iconografia musical relativa às diversas tradições cênicas;
Linha 5: Fontes visuais relativas à música e sua informação nas diversas tradições culturais cênicas;
Linha 6: Desafios patrimoniais, museológicos, técnicos, tecnológicos, culturais e éticos em torno da iconografia na cultura geral, artística e/ou musical.

O tema escolhido para esta sexta edição do CBIM está centrado no ato de apresentar e suas múltiplas possibilidades de representação no domínio da cultura musical e visual. Uma das maneiras de encarar-se a música é como uma ação performática que acontece nos mais diversos tipos de espaço: público, privado, religioso, teatral, íntimo, social, etc. Os distintos significados associados a esse acontecimento nos diferentes espaços podem multiplicar-se e trazem, para os estudos de iconografia musical, novos desafios e abordagens. Se o decoro de lugar já era uma dos requisitos essenciais na retórica – e também na retórica musical, as relações entre o fazer musical, o espaço em que este fazer acontece, e as transformações ocasionadas em ambos tornam-se um campo rico a ser explorado. Somem-se a isso as várias discussões sobre representação e documentação, que vêm tornar a questão ainda mais complexa. Assim, a proposta deste CBIM é instigar a reflexão sobre esses assuntos, nos mais variados campos de conhecimento.

As propostas (inéditas e inseridas em alguma das linhas acima descritas) podem ser escritas em Espanhol ou Português e devem ser enviadas na forma de resumo (entre 300 e 500 palavras) pelo sistema de submissão online disponível em www.portaleventos.mus.ufba.br/ (clicando no link do congresso).

Chamada de trabalhos – 3 de agosto de 2020 a 31 de janeiro de 2021
Avaliação por pares – 1º de fevereiro a 19 de março de 2021
Publicação dos Resultados – 22 de março de 2021
Envio da versão final dos textos completos das comunicações aprovadas – até 24 de maio de 2021

Mais informações pelo site http://www.ridim-br.mus.ufba.br/6cbim2021/

Dr. Paulo M. Kühl – UNICAMP
Presidente do 6º CBIM

Dr. Pablo Sotuyo Blanco – UFBA
Presidente do RIdIM-Brasil


Î Voltar ao topo

CHAMADA: Revista Musica Theorica

VOLUME 5.1 (2020) – DOSSIÊ ALBERTO NEPOMUCENO (1864–1920) e VOLUME 5.2 (2020)

A Revista Musica Theorica da Associação Brasileira de Teoria e Análise Musical (Qualis A2) aceita submissões de trabalhos para o volume 5.1 (2020) até 31/07/2020. A temática deste número é dedicada ao compositor Alberto Nepomuceno (1864–1920) e em homenagem ao centenário de morte do compositor. As submissões devem abordar a obra do compositor a partir de uma perspectiva analítica. Além do dossiê dedicado a Nepomuceno, a Musica Theorica aceita submissões na área central da revista, ou seja, teoria e análise musical e suas ramificações no conhecimento musical. As submissões devem seguir as diretrizes estabelecidas na página da revista (http://tema.mus.br/revistas/index.php/musica-theorica/about/submissions#onlineSubmissions) e podem ser realizadas online (preferível) ou, se necessário, por email diretamente para o editor (norton.dudeque@ufpr.br).

Musica Theorica, a peer-reviewed music journal of the Brazilian Society for Music Theory and Analysis (TeMA) receives submissions for publication of original research in Volume 5.1 (2020) until Jul/31/2020. This volume is dedicated to the centenary of the death of Alberto Nepomuceno (1864–1920). Submissions shall approach Nepomuceno’s music from an analytical perspective. In addition to Nepomuceno’s dossier, submissions are welcomed on any aspects of music theory and analysis and their ramifications in music knowledge. Manuscripts should be submitted online or, if necessary, emailed directly to the editor (norton.dudeque@ufpr.br). Author guidelines are available on the journal submissions page (http://tema.mus.br/revistas/index.php/musica-theorica/about/submissions#onlineSubmissions).

CHAMADA VOLUME 5.2 (2020)

A Revista Musica Theorica da Associação Brasileira de Teoria e Análise Musical (Qualis A2) aceita submissões de trabalhos para o volume 5.2 (2020) até 30/11/2020. A Musica Theorica aceita submissões na área central da revista, ou seja, teoria e análise musical e suas ramificações no conhecimento musical. As submissões devem seguir as diretrizes estabelecidas na página da revista (http://tema.mus.br/revistas/index.php/musica-theorica/about/submissions#onlineSubmissions) e podem ser realizadas online (preferível) ou, se necessário, por email diretamente para o editor (norton.dudeque@ufpr.br).

Musica Theorica, a peer-reviewed music journal of the Brazilian Society for Music Theory and Analysis (TeMA) receives submissions for publication of original research in Volume 5.2 (2020) until Nov/30/2020. Submissions are welcomed on any aspects of music theory and analysis and their ramifications in music knowledge. Manuscripts should be submitted online or, if necessary, emailed directly to the editor (norton.dudeque@ufpr.br). Author guidelines are available on the journal submissions page (http://tema.mus.br/revistas/index.php/musica-theorica/about/submissions#onlineSubmissions).


Î Voltar ao topo

CHAMADA: Dossiê Revista NAVA 2020: O presente corrente

As submissões de trabalhos para o Volume 2020 da Revista Nava estão abertas!

Dossiê 2020: O Presente Corrente

“Ah” — disse o rato, “a cada dia o mundo está mais estreito. A princípio era tão vasto que me dava medo, eu continuava correndo e me sentia feliz com o fato de que finalmente via alguns muros à distância, à direita e à esquerda, mas agora essas longas paredes se movem tão depressa uma em direção à outra, que já estou no último cômodo e lá no canto fica a fresta para a qual eu corro”. – “Você só precisa mudar de direção” — disse o gato, e o comeu.

Franz Kafka. Pequena Fábula.


O presente corre em nossa direção, nos cerca por todos os lados, e, à semelhança de um caudaloso rio, revolve nossa existência pessoal e coletiva. Que direções tomar diante desse presente inexorável que nos interpela com tanta insistência? Que indagações o presente nos estimula a fazer?

A Revista do PPGACL/UFJF tem a alegria de convidar autores interessados em dialogar sobre as novas formas de presente, que aos poucos vão se esboçando diante de nós.

Mais informações: https://periodicos.ufjf.br/index.php/nava/index

Prazo de submissão de artigos: 01/11/2020


Î Voltar ao topo

DIVULGAÇÃO: III Simpósio Investigação em Regência e Interpretação Musical

III Simpósio Investigação em Regência e Interpretação Musical – SIRIM
Alberto Nepomuceno em foco

O evento acontecerá de forma virtual, por meio de lives, nas plataformas do YouTube e Facebook, pelos canais da escola Porto Iracema das Artes, parceira dos eventos, ou IRIM. Serão realizadas 5 mesas-redondas durante os meses de agosto a dezembro de 2020, sendo uma a cada mês, transmitidas ao vivo pela internet. O tema do III SIRIM 2020 é “Alberto Nepomuceno em foco”, homenageando um dos maiores compositores brasileiros no ano em que marca o centenário de falecimento do compositor.

A programação do III SIRIM foi escolhida pela comissão organizadora responsável pelos festejos que marcam o centenário de falecimento de Alberto Nepomuceno no Ceará. Os convidados deste ano apresentam uma importante diversidade de atuações artísticas profissionais que enriquecerão as conferências individuais e os debates como o cantador Guilherme Nobre, o escritor João Silvério Trevisan, o maestro Júlio Medaglia, o jornalista Dr. Gilmar de Carvalho, a cravista e pesquisadora Dra. Rosana Lanzelotte, a cantora e pesquisadora Anna Maria Kieffer, o violista e professor Marcelo Jaffé, os pesquisadores e professores universitários Dra. Elba Braga Ramalho (UECE), Dr. Avelino Romero Pereira (UNIRIO), Dr. Luiz Guilherme Goldberg (UFPEL), Dra. Mónica Vermes (UFES) e Dr. Edilson Vicente de Lima (UFOP).

É com imenso prazer que o grupo de pesquisa IRIM convida a todos os interessados – amadores, artistas, músicos, professores, estudantes – a participarem do III SIRIM (virtual). Será um oportunidade ímpar de conhecer a vida e obra do compositor cearense Alberto Nepomuceno (1864-1920) com artistas de diferentes formações e atuações profissionais, em formato gratuito, online e acessível.

Coordenação Geral

Investigação em Regência e Interpretação Musical – IRIM
Grupo de Pesquisa CNPq – https://www.pesquisairim.com

Prof. Dr. Marcio Spartaco Nigri Landi (Presidente)
Profa. Dra. Inez Beatriz de Castro Martins Gonçalves (Vice-Presidente)


Î Voltar ao topo

DIVULGAÇÃO: V Congresso Internacional de Música e Matemática – MusMat 2020

Perspectivas e aplicações da matemática nas teorias pós-tonais («Homenagem a Jamary Oliveira»)

08 a 12 de dezembro de 2020 (Edição Online)

O Grupo de Pesquisa MusMat e o Programa Pós-­‐Graduação em Música da UFRJ convidam pesquisadores(as), docentes, discentes e profissionais, em geral, da área de música para submeterem propostas de trabalhos para o V Congresso Internacional MusMat 2020, conforme as especificações desta chamada. O tema do Congresso será “Perspectivas e Aplicações da Matemática nas Teorias Pós-Tonais”. O processo de recebimento e seleção dos trabalhos ficará a cargo da Comissão Organizadora. As atividades do Congresso incluem: a) Conferências; b) Mesas-redondas; c) Comunicações orais e d) Concertos virtuais. Nessa edição, teremos a participação de autores renomados, como: Dmitri Tymoczko, David Temperley, Robert Peck, Scott Murphy, Mariana Montiel, Moreno Andreatta, Marcos Sampaio, Jônatas Manzolli, Nei Rocha, Pedro Kroger, Petrucio Viana, Francisco Aragão, Stephen Guerra entre outros.

SUBMISSÃO DE TRABALHOS

Cada autor(a) ou coautor(a) poderá submeter até três trabalhos para avaliação. As submissões deverão ser enviadas para o e-mail: congresso@musmat.org.

Os trabalhos aprovados deverão ser apresentados exclusivamente pelo(a) autor(a), ou, pelo menos, por um(a) dos(as) autores(as) do trabalho.

Serão aceitas inscrições de trabalhos para serem apresentados no Congresso na categoria Sessões de Comunicações.

SESSÕES DE COMUNICAÇÕES ORAIS

O trabalho submetido deve consistir de texto originado de pesquisa, produção artística ou experiência (de ensino, produção cultural, divulgação científica, por exemplo, ou relato de caso). O texto deve explicitar problema, objetivos, pressupostos teóricos e procedimentos utilizados, além de destacar os resultados finais (trabalho concluído), ou análise preliminar consistente, e as conclusões obtidas.

Cada comunicação terá a duração de 30 minutos, sendo 20 minutos para a apresentação do trabalho, seguida de 10 minutos de discussão.

Instruções para a formatação das submissões

Os trabalhos devem ser apresentados nos formatos “.doc”, “.rtf” ou “.pdf”.

O artigo deve ser escrito em português ou em inglês.

Os textos devem ser inéditos (não publicados, não em processo de publicação, não apresentados em outros eventos).

Os textos submetidos para avaliação não devem conter nome, filiação institucional, nem qualquer outro tipo de informação que permita a identificação do(a) autor(a) ou autores(as).

O texto deve ser formatado de acordo com as especificações do template disponível aqui. O texto deve ser estruturado com base nas seguintes normas:

A página deve ser configurada em tamanho A4, margens esquerda, direita, superior e inferior de 2,5 cm, fonte Georgia, sem espaçamento entre os parágrafos.

Título do trabalho, com apenas a primeira inicial maiúscula, sendo o subtítulo, se houver, iniciado em letra minúscula (tamanho 14, espaço simples, negrito, centralizado);

Nome do(a) autor(a) do trabalho (tamanho 12, espaço simples, itálico, alinhamento à direita), instituição de vínculo e e-­‐mail (tamanho 10, espaço simples, itálico, alinhamento à direita; seguido por uma linha em branco). Esses dados devem ser retirados no envio da submissão (sendo substituídos por “XXX”) e incluídos apenas na versão final do trabalho, caso aprovado;

Resumo do trabalho com cerca de 6 linhas (tamanho 10, espaço simples, 2 centímetros de indentação na margem esquerda, justificado);

Três a cinco palavras-­‐chave, separadas por ponto, com apenas a inicial de cada uma delas em letra maiúscula (tamanho 10, espaço simples, 2 centímetros de indentação na margem esquerda, justificado; seguidos por uma linha em branco);

Título, resumo e palavras-­‐chave do trabalho traduzidos (tamanho 10, espaço simples, 2 centímetros de indentação na margem esquerda, justificado; seguidos por uma linha em branco): o título, o resumo e as palavras-­‐chave devem ser apresentados no início do texto na língua utilizada no trabalho. Para os trabalhos em português ou espanhol, após esses itens, deve-­‐ se incluir a tradução dos mesmos para o inglês (todos os termos do title e todas as keywords devem ser iniciados com letra maiúscula); para os trabalhos em inglês, esses itens devem ser traduzidos para o português;

O corpo do texto deve ser escrito em fonte tamanho 12, espaçamento  1,5, sem indentação, alinhamento justificado e com recuo de primeira linha de parágrafo de 2 cm.

Caso o texto subdivida-­se em seções, os títulos das mesmas deverão ser em negrito, fonte tamanho 12, espaçamento 1,5, justificado.

Cada trabalho deve ter extensão mínima de 8 páginas e extensão máxima de 12 páginas (incluindo título, resumo, palavras-­‐chave e respectivas traduções, notas e referências).

Exemplos musicais (Ex.), figuras (Fig.), tabelas (Tab.) etc. devem ser inseridos no texto como figura, coloridas ou em gradações de preto (formato “.tif” ou “.jpg” em 300 dpi), numerados e acompanhados de legenda sucinta e elucidativa de no máximo 3 linhas (tamanho 10, espaço simples, centralizado, inserida sob a ilustração).

As iniciais dos nomes das notas musicais devem vir sempre em maiúsculas (Dó, Ré, Mi etc.). Para símbolos específicos como sustenido, bemol e bequadro é possível utilizar a fonte BACH. O download da fonte BACH pode ser feito na seguinte URL: http://www.mu.qub.ac.uk/tomita/bachfont

As notas devem ser incluídas apenas para informações complementares e comentários, em fonte tamanho 10, com espaçamento simples, justificado, como nota de rodapé.

Citações com até três linhas devem ser inseridas no corpo do texto (entre aspas, em fonte tamanho 12). As citações com mais de três linhas devem vir separadas como parágrafo e com indentação de 4 cm à esquerda (sem aspas, fonte tamanho 10, espaço simples, alinhamento justificado, sem itálico). Ambas devem ser seguidas por (AUTOR, ano: número de página).

Autocitações devem ser omitidas no corpo do texto e nas referências na versão de submissão para garantir avaliação em caráter anônimo, sendo substituídas por “XXX” na submissão e restabelecidas na versão definitiva do trabalho, caso aprovado.

Para a formatação das referências, ver o template disponível no site do Grupo MusMat.

A exatidão das referências constantes na listagem ao final dos trabalhos bem como a correta citação ao longo do texto são de responsabilidade do(a) autor(a) ou autores(as) do trabalho.

As normas de formatação que não estiverem previstas acima devem estar de acordo com as normas vigentes da ABNT.

As submissões que não atenderem a esse padrão não serão avaliadas pelos pareceristas.

PROCEDIMENTOS E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS

Cada trabalho será avaliado por, pelo menos, dois pareceristas, com base nos seguintes parâmetros:

  1. Importância do trabalho para a área;
  2. Conteúdo e estrutura do trabalho;
  3. Resultados e conclusões do trabalho;
  4. Referência utilizadas.

CHAMADA DE OBRAS

Serão aceitas propostas de obras para as seguintes formações:

  1. Fagote Solo;
  2. Violão Solo;
  3. Soprano Solo;
  4. Violão e Soprano.

As obras não precisam ser inéditas e devem ter a duração máxima de 5 minutos. A partitura deve ser enviada em formato PDF para o email: congresso@musmat.org

CRONOGRAMA

Atividades Datas/prazos
Submissão dos trabalhos pelos autores 23/07 a 24/09
Chamada de Obras pelos compositores 23/07 a 01/09
Avaliação pela Comissão Científica 25/09 a 25/10
Divulgação dos artigos aceitos 26/10
Envio da versão final dos trabalhos 27/10 a 08/11
Resultado final da Seleção de Obras 15/09

Qualquer dúvida deve ser endereçada à Comissão Organizadora através do e-mail: congresso@musmat.org

Comissão Organizadora:

Carlos Almada (UFRJ) | Daniel Moreira (UFRJ) | Liduino Pitombeira (UFRJ) | Hugo Carvalho (UFRJ)

 


Î Voltar ao topo

DIVULGAÇÃO: V Encontro Internacional de Piano Contemporâneo

Encontro Internacional de Piano Contemporâneo- Online será realizado pelo Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (Brasil), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil), a Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE-Portugal) e o Centro de Investigação em Sociologia e Estética Musical (CESEM- Portugal), entre os dias 12 e 14 de Novembro de 2020. Iniciado em 2016, este evento itinerante tem como objetivo promover a partilha, socialização, debate e reflexão sobre pesquisas e atividades artísticas em torno da Música Contemporânea para Piano. Neste ano, o V Encontro Internacional de Piano Contemporâneo será realizado online (vídeo conferência) aproveitando os recursos disponíveis da internet.

A temática dessa quinta edição é A obra para piano de Almeida Prado. Além de prestar uma homenagem ao compositor brasileiro por ocasião dos 10 anos de seu falecimento, esperamos criar um espaço de discussão sobre práticas, técnicas e repertórios atuais, tomando como referência sua produção pianística. Ao mesmo tempo, estimulamos a submissão de trabalhos de performance pianística sobre obras dos demais compositores brasileiros e estrangeiros dos séculos XX e XXI (inclusive obras  que dialoguem com o piano através do uso de instrumentos eletrônicos, obras de cunho experimental e improvisação).

Convidam-se performers, compositores e investigadores interessados em algum aspecto da criação e performance pianística contemporânea a submeterem propostas nas modalidades Comunicações de Pesquisa e Recitais-Palestra.

Acesse o pdf na página: https://www.ffclrp.usp.br/musica/


Î Voltar ao topo

DIVULGAÇÃO: Ravel repudia seu próprio bolero

Meus amigos, uma sensacional proposta do Maestro João Maurício Galindo.
Abraços a todos

Ópera de Paris, 22 de Novembro de 1928.
As pessoas que entravam para assistir o espetáculo viam um cenário que retratava uma típica taverna espanhola.
Logo veriam uma cena em que muitas pessoas dançavam animadamente.
Uma dançarina salta sobre uma mesa, os aplausos aumentam, a dança se intensifica.
Essa bailarina chamava-se Ida Rubinstein.

Nascida em 1883 em uma das mais ricas famílias da Rússia, teve uma educação refinadíssima, que abrangia várias línguas, música, dança e teatro.
Quando começou a atuar profissionalmente como artista, sua aristocrática família ficou horrorizada, internando-a em um asilo para doentes mentais.
Não foi suficiente. Ida deixaria o asilo, e para poder ter acesso a sua fortuna, casou-se com um conde – que não se opunha a sua atividade como artista.
Logo o casal estaria em Paris, onde Ida fundaria sua própria companhia de dança – e com isso entraria para a história, encomendando trabalhos a diversos artistas.
Não fosse por Ida Rubinstein, o mundo não teria conhecido o Bolero de Maurice Ravel.

A estréia foi um sucesso gigantesco.
Ravel já era um compositor maduro e consagrado, e o Bolero foi uma de suas últimas obras.
Contudo, ele não conseguia entender a razão de todo aquele “frisson”!

Chegou a imaginar que muitas orquestras iriam até mesmo se recusar a executá-la.
Conta-se que uma das poucas pessoas que não gostou da música dizia em alto e bom tom, após o espetáculo, que Ravel era louco.
Ao saber disso, o compositor declarou; “esta, sim, entendeu minha música!”
Pois bem, graças ao grande sucesso, arranjos para piano foram criados; várias gravações foram feitas, uma após outra, bem como transmissões de rádio.
Um ano após a estréia em Paris, o grande maestro Arturo Toscanini fez a prémière norte-americana, com a platéia aplaudindo e gritando entusiasticamente.
Depois de inúmeras execuções nos Estados-Unidos, um jornal declarou que o Bolero havia se tornado o 2o. Hino Nacional.
A coreografia foi esquecida, a música tornava-se mais e mais conhecida …. para espanto de Ravel!
Em julho de 1931, ele declarou ao jornal britânico “The Daily Telegraph”, resumidamente, o que se segue:

“ – Meu Bolero é um experimento muito particular e limitado.
Ninguém deve esperar dele nada de diferente ou além disso.”

E o mais espantoso:

“ – São 17 minutos de um tecido orquestral sem música.”

Uma música sem Música????????

Como assim, uma música sem música?
Ninguém entendeu nada!
Bem, cara leitora, caro leitor, o fato é que por mais estranha e paradoxal que esta expressão possa parecer, ela tem, sim, um significado bem claro para os estudiosos de música.
Aliás, para alguns poucos estudiosos de música.
O próprio Ravel dá algumas pistas:

“ – Não há nele contrastes e praticamente nenhuma invenção…”

O contraste sempre foi um elemento importantíssino na criação musical.
E mais ainda a invenção.
Se entendermos as técnicas, ou as maneiras para se obter contrastes em música, bem como as ferramentas da invenção musical, podemos começar a entender o que Ravel quis dizer.
E ainda assim, sobra uma pergunta: porque essa música, sem contrastes e sem invenção, hipnotiza tanta gente?
Sim, eu sei, esse assunto não interessa a muita gente.
Com tanta coisa para se preocupar, talvez o melhor mesmo seja concentrarmo-nos nas nossas preocupações, 24 horas por dia.
Assim quem sabe, a gente encontra uma solução pra elas.

Muita gente é assim.
Mas eu acho que você não é.
Eu acredito que você quer enxergar um pouco mais longe.
Ou talvez, “ouvir” um pouco mais longe, visto que você faz parte de um grupo de pessoas que sinceramente gosta de música.
Passam-me agora pela mente algumas imagens de mentes brilhantes que durante toda a vida procuraram entender e explicar o mundo, e ao mesmo tempo eram fascinados por música.

Bem, dito tudo isso, quero fazer-lhe um convite, para junto comigo saber um pouco mais sobre Ida Rubinstein, sobre os balés parisienses do 1o. quarto do século XIX, sobre a ourivesaria sonora de Ravel, os artesanatos da criação musical e o mistério da música e das artes sobre nós, humanos.
É mais um dos meus cursos que acaba de sair do forno!
Se você já participou de algum, sabe como é.
Se você já pensou em participar, mas nunca o fez, veja o que o pessoal está achando.

Serão três aulas ONLINE em que, analisando o Bolero de Ravel, mergulharemos profundamente no mundo da grande música.
Eis o conteúdo:
1a. Aula:
– O que é um Bolero?
– Outros compositores escreveram boleros?
– Bolero Cubano e Bolero Europeu: nada a ver!
– Ida Rubinstein, os Balés Russos e Paris Artística no 1o. quarto do século XIX.
– Audição completa do Bolero.

2a. Aula:
– Análise musical completa do Bolero
– A essência das críticas de Ravel
– Elementos da linguagem musical ausentes no Bolero (1a. parte)

3a. Aula:
– Elementos da linguagem musical ausentes no Bolero (2a. parte)
– Derivações: O Bolero no balé, no cinema, na mídia e na cultura popular.

As aulas acontecerão nos dias
26/10 – 2a. feira
28/10 – 4a. feira
02/11 – 2a. feira
Sempre das 18:00 às 20:00 hs.

Se você quiser saber mais e se inscrever, basta responder a este e-mail com a palavra SIM.

casl1959@yahoo.com.br

Mas faça-o agora!
Não deixe para a última hora!
Saudações musicais do Maestro João Maurício Galindo

 


Î Voltar ao topo

DIVULGAÇÃO: Periódico e Podcast (PET Música)

Boa tarde,

Compartilho aqui duas publicações recentes do grupo PET Música do Instituto de Artes da UNESP:

1) A 2ª edição do periódico eletrônico Música em Foco (ISSN 2675-6854), teve seu lançamento no dia 16 de outubro e pode ser acessada no Portal de Periódicos do IA: http://www.periodicos.ia.unesp.br/index.php/musicaemfoco/issue/view/24
Esse número inclui:
– Nove artigos submetidos por graduandos ou recém-graduados em música ou áreas afins, oriundos do própria IA, UNICAMP UFSM, CBM e UFU;
– Um relato do 12º Encontro Brasileiro de Clarinetistas e 4º Encontro Brasileiro de Claronistas, realizado no IA em 2019;
– Três entrevistas realizadas pelos discentes do PET durante o V Encontro Nacional de Pesquisadores em Filosofia da Música e Congresso Internacional “Intercâmbios Norte-Sul” (realizado no IA em 2018) com pesquisadores convidados para o evento, a saber: Ivanka Stoïanova (Université Paris 8), Germán Gan-Quesada (Universidad Autónoma de Barcelona) e Marita Fornaro Bordolli (Udelar, Uruguai).
A gravação do evento de lançamento da revista pode ser acessada em https://www.youtube.com/watch?v=i2-dvt_174g.
O edital para envio de artigos para a 3ª edição da revista pode ser consultado em https://petmusica.files.wordpress.com/2020/08/edital-revista-mucc81sica-em-foco-3a-ediccca7acc83o.pdf.

2) O 2º episódio do PETCast, o podcast do PET Música UNESP, com o tema Compositoras no Barroco e no Classicismo, foi lançado em 8 de outubro e pode ser ouvido em https://open.spotify.com/show/4Q04sHObgvb7va6lg7qk9e.
Um comentário mais detalhado sobre o episódio, assim como a playlist da obras comentadas, pode ser acessado em https://petmusica.wordpress.com/2020/10/09/petcast-ep2-compositoras-no-barroco-e-no-classicismo/

Atenciosamente,
Maurício De Bonis
Instituto de Artes da UNESP
http://mauriciodebonis.com


Î Voltar ao topo

DIVULGAÇÃO: Obras de César Guerra-Peixe no canal do YouTube de Alvaro Henrique

ENGLISH TEXT BELOW

Desde setembro estou colocando no meu canal no YouTube na primeira sexta-feira do mês um vídeo com uma obra de César Guerra-Peixe incluindo legendas para o público em geral conhecer mais a composição, o compositor, e ter uma experiência de maior imersão em cada obra.

Mas, como a principal função deste projeto é dar visibilidade à este compositor tão relevante para o Brasil, uma das principais vozes de dois movimentos opostos, Movimento Música Viva e o Movimento Armorial, no mesmo dia também é publicado um vídeo ensinando como tocar a música gravada.

Confira as performances e aulas que já foram ao ar em https://alvarohenrique.com/pt/2020/10/18/videos-com-legendas-explicativas-aula-com-a-obra-integral-para-violao-solo-de-cesar-guerra-peixe/

Abraços,
Alvaro Henrique

I started a project to raise the spotlight on a very important yet neglected Brazilian composer, Cesar Guerra-Peixe. He is a unique case of a composer who is considered a key figure in two rival musical movements in Brazil, the Musica Viva, focused on avant-gard music, and the Movimento Armorial, focused on creating art forms from popular backgrounds instead of European ones.

I’m uploading each month a video of a guitar work by him including subtitles and I also publish a lesson giving tips how to master each work. Watch them at https://alvarohenrique.com/en/2020/10/19/guerra-peixes-works-for-guitar-with-subtitles-for-listeners-and-lessons-for-guitarists/

Regards, 
Alvaro Henrique


Î Voltar ao topo

DIVULGAÇÃO: Lançamento do CD Piano contemporâneo Brasileiro em Ituiutaba

Caros/as Compositores/as,

É com imensa alegria que oficializamos neste email o lançamento do CD Piano contemporâneo brasileiro em Ituiutaba, disponível em:  http://www.musica.ufmg.br/selominasdesom/?page_id=435

Este CD é de VOCÊS!!! É nosso, é do piano Brasileiro!!!

Agradecemos pela confiança e prontidão de todos VOCÊS ao longo do processo de idealização e realização deste projeto, sob a coordenação e supervisão da professora Luciana Monteiro de Castro (UFMG), que nos lê em cópia, e à qual agradeço sensivelmente.

Os Cadernos Musicais, de mesmo nome do CD, serão lançados no início de dezembro deste ano também pelo Selo Minas de Som, com quase 400 páginas organizadas em dois volumes, com 2 Tomos cada volume.

Um sonho… hoje realidade, graças ao esforço de toda uma comunidade.

Recebam nosso abraço carinhoso e eterna gratidão!

(e… a certeza de que queremos continuar sonhando)

Denise Martins (deniseafmartins@outlook.com)

Abnader Domingues (abnaderdomingues@hotmail.com)

Araceli Chacon (ssorram@hotmail.com)

Daniela Carrijo (danicfranco@hotmail.com)

Marília Chaves (mariliachavessilveira@hotmail.com)


Î Voltar ao topo