“La Traviata” ópera em três atos, de G. Verdi

Cartaz ópera La Traviata

Ópera “La Traviata” promete fortes emoções ao público no Teatro de Paulínia

“La Traviata”, de Giuseppe Verdi, uma das óperas mais populares de todos os tempos, terá quatro apresentações no Theatro Municipal de Paulínia, nos dias 6, 7 e 8, às 20 horas, e no dia 9 de setembro, às 18 horas. Será mais uma realização do Centro de Integração, Documentação e Difusão Cultural da Unicamp (CIDDIC), que conta com o trabalho de seus corpos artísticos estáveis: Orquestra Sinfônica da Unicamp, Coral Unicamp Zíper na Boca, Coro Contemporâneo de Campinas e Ópera Estúdio Unicamp. Inspirada na peça teatral parisiense “A Dama das Camélias”, de Alexandre Dumas, a ópera foi estreada em 1853 no Teatro La Fenice em Veneza. O tema, que critica os valores burgueses e questiona os limites do amor, serviu de combustível para clássicos do cinema atual, como o filme “Uma linda mulher”, com Julia Roberts, e o musical “Moulin Rouge”, com Nicole Kidman.

Entradas a R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia).

Os ingressos para a ópera “La Traviata” já estão à venda no site do nosso parceiro, a ALPHA TICKETS:

Logotipo AlphaTicket

www.alphatickets.com.br

 

Adquirir Ingressos
Pontos de venda ópera La Traviata:

Acessibilidade

Teremos entrada acessível para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, pelo Foyer do Teatro.
Pessoas com deficiência visual que desejarem utilizar o recurso de audiodescrição, terão ingressos cortesia, mediante reserva do recurso, a ser feita pelo telefone (19) 3521-6506 ou enviando seu NOME COMPLETO, RG (e de seu acompanhante) e RÉCITA DE INTERESSE para o e-mail nicoles@unicamp.br. Para este recurso as vagas são LIMITADAS.


Siga o nosso evento no Facebook:

La Traviata, ópera em três atos por G. Verdi – no Facebook


Sinopse

Libreto italiano de Francesco Maria Piave, baseado em A Dama das Camélias, de Alexandre Dumas Filho. Estreia em 1853 em Veneza. Ópera ambientada em Paris e seus arredores, ano de 1850.

Ato I: Violetta, cortesã sustentada pelo barão Douphol, oferece uma grande recepção. Apresentam-lhe Alfredo, um jovem que a ama em segredo. Atacada por uma crise de turberculose, ela se isola. Alfredo lhe declara seu amor. Perturbada, ela hesita em se comprometer.

Ato II: Três meses se passaram. Violetta cedeu ao amor de Alfredo. Eles vivem felizes numa casa de campo. Mas Alfredo parte para Paris a fim de acertar as dívidas de Violetta. Georgio Germont, pai de Alfredo, pede que Violetta renuncie a seu filho para salvar a honra da família. Violetta aceita o sacrifício. Ao retornar Alfredo, ela se lança em seus braços chorando e parte sem nada lhe explicar. Ele recebe uma carta de adeus que interpreta como uma traição. Seu pai procura acalmá-lo, mas quando o jovem revê Violetta em Paris, enfurecido, atira-lhe no rosto o dinheiro que ganhou no jogo, como preço de sua estada no campo.

Ato III: Violetta no último estágio da tuberculose encontra-se acamada e abandonada por todos. Nas ruas festejam o Carnaval. Ela fica sabendo que Germont revelou a verdade a seu filho. Alfredo chega e eles se abraçam. Violetta sente-se reanimar, mas morre num último acesso, diante de Germont e Alfredo arrasados.

Fonte: SUHAMY, Jeanne. Guia da Ópera. Tradução de Paulo Neves Fonseca. Porto Alegre: L&PM, 2007. 256p. (Coleção L&PM Pocket)


Direção

Angelo J. Fernandes, coordenador-geral do projeto

Felipe Venâncio, diretor de cena e cenógrafo

Cinthia Alireti, diretora musical e regência


Intérpretes

Violetta Valèry: Raíssa Amaral e Daiana Melo
Alfredo Germont: Rafael Stein e Ramon Mundin
Giorgio Germont: Willian Donizetti e Pedro Vianna
Gastone (o Visconde de Létorières): Tiago Roscani
Flora Bervoix: Rebeca Oliveira
Annina: Maria Rubia Andretta
Marquês D’Obigny: Heitor Coelho
Barão Douphol: Matheus Coelho
Doutor Grenvil: Leandro Cavini
Giuseppe: Samuel Valli

Ópera Estúdio Unicamp
Coral Unicamp “Zíper na Boca”
Coro Contemporâneo de Campinas
Orquestra Sinfônica da Unicamp


Solistas

Raíssa Amaral, Violetta

Foto Raíssa AmaralÉ graduada, mestra e doutoranda em canto erudito pela Unicamp, sendo orientada por Angelo Fernandes. Ainda pela Unicamp, se formou no curso de Cordas da Música Popular sob a orientação de Ulisses Rocha. Já cantou sob regência de Abel Rocha, André dos Santos, Cinthia Alireti, Ernst Mahle, Roberto Minczuk, Silvio Viegas, Victor Hugo Toro entre outros.

 


Daiana Melo, Violetta

Foto Daiana MeloSoprano, de Belo Horizonte/MG, mestre em Música pela UFMG, é professora da Universidade do Estado de Minas Gerais e integrante do Coral Lírico do mesmo Estado. Como solista, atua em óperas, oratórios, cantatas e concertos. Apresentou-se, dentre outras, com as Orquestras Sinfônicas de Minas Gerais, da UNICAMP e da UEMG.

 


Rafael Stein, Alfredo

Foto Rafael SteinGraduando em Música pela USP. Solista da Cia. Minaz. É orientado por Angelo Fernandes. Premiado no concurso Maria Callas de 2018. Interpretou Don José, Rinuccio, Tamino, Gastone. Cantou sob regência de Abel Rocha, Cláudio Cruz, Francesco Zingariello, Luis Petri, Mitia D’Acol, Nazir Bittar e Pricila Bomfim.

 


Ramon Mundin, Alfredo

Foto Ramon MundinBacharelando em Canto na classe de Angelo Fernandes pela Unicamp e membro do Coro Contemporâneo de Campinas. Premiado no Concurso Maria Callas, Sarzana Opera Festival e Fondazione Luciano Pavarotti. Cantou sob regência de André dos Santos, Cinthia Alireti e Francesco Cilluffo. Cantou os personagens: Bastião (Bastien), Nemorino, Gastone e Uriel.

 


Pedro Vianna, Giorgio Germont

Foto Pedro ViannaPedro Vianna vem se destacando em importantes papéis operísticos em Minas Gerais, Brasília e em São Paulo. Já se apresentou junto a importantes nomes da Lírica Nacional. Apresenta-se constantemente junto às Orquestras Sinfônica e Filarmônica de Minas Gerais. Atualmente recebe orientações do professor Angelo Fernandes.

 


Willian Donizetti, Giorgio Germont

Foto Willian DonizettiÉ graduado em Música com habilitação em Canto Lírico pelo Instituto de Artes da Unicamp. Foi agraciado com o Primeiro Prêmio Masculino no X Concurso Carlos Gomes (2017) e Segundo Grande Prêmio Masculino no 16º Concurso Maria Callas (2018). Recebe orientação do prof. dr. Angelo José Fernandes.

 


Tiago Roscani, Gastone

Foto Tiago RoscaniTenor, regente e pós-graduando na Unicamp sob a orientação de Angelo Fernandes. Como regente já dirigiu importantes grupos além de, em 2018, dirigir a ópera Gianni Schicchi no 1º Festival Internacional de Ópera de Goiânia. Em 2017 interpretou Tamino na ópera A Flauta Mágica, de Mozart.

 


Rebeca Oliveira, Flora

Foto Rebeca OliveiraÉ graduada em Licenciatura em Música pela UNICAMP e atualmente cursa bacharelado com habilitação Canto Lírico sob orientação do prof. dr. Angelo José Fernandes na mesma universidade. Atua no Coro Contemporâneo de Campinas desde 2014 como coralista e solista.

 


Maria Rubia Andretta, Annina

Foto Maria Rúbia AndretaBacharel em Música – modalidade Regência – e bacharelanda em Canto Erudito pelo Instituto de Artes da Unicamp, sob orientação de Angelo Fernandes, já atuou em diversas montagens do Ópera Estúdio UNICAMP, além de participar como solista frente à Orquestra Sinfônica de Campinas e Orquestra Sinfônica da Unicamp.

 


Heitor Coelho, Marquês D’Obigny

Foto Heitor CoelhoBarítono. Bacharel em Música com habilitação em Canto Lírico no Instituto de Artes da Unicamp, sendo aluno da classe do prof. dr. Angelo José Fernandes. Atualmente integra o Ópera Estúdio desta universidade e o Coro Contemporâneo de Campinas, atuando no naipe de baixos.

 


Matheus Coelho, Barão Douphol

Foto Matheus CoelhoNatural de Campo Grande/MS, iniciou na música ao clarinete. Desde então, despertou o interesse pela direção de orquestra. Atualmente, cursa regência na Unicamp e estuda canto com Angelo Fernandes. Fundou a Camerata Experimental de Campinas e integra o Coro Contemporâneo de Campinas desde 2014.

 


Leandro Cavini, Doutor Grenvil

Foto Leandro CaviniNatural de Itapira/SP, é bacharel em Regência Coral e Canto Lírico pela Unicamp, onde atualmente, cursa o mestrado sob orientação da profa. dra. Adriana Kayama. Aluno da classe de canto do prof. dr. Angelo Fernandes atuou em diversas montagens tendo destacado como Aeneas (Purcell) e Papageno (Mozart).

 


Samuel Valli, Giuseppe

Foto Samuel ValliÉ bacharelando em Canto Lírico pela Unicamp, na classe de Angelo Fernandes. Foi solista no Réquiem e Grande Missa em Dó menor de W. A. Mozart e Oratório de Natal e Johannes Passion de J. S. Bach, entre outros. É preparador vocal e professor de canto no Conservatório Campinas, e membro do Coro Contemporâneo de Campinas desde 2013.

 


Serviço

“La Traviata” ópera em três atos, de G. Verdi

QUANDO

6, 7, 8 de setembro de 2018, às 20 horas (quinta a sábado)

e 9 de setembro de 2018, às 18 horas (domingo)

ONDE

Theatro Municipal de Paulínia

Av. Pref. José Lozano Araújo, 1551 – Parque Brasil 500, Paulínia. Telefone 19-3933-2140

INGRESSOS*

Os ingressos para a ópera “La Traviata” já estão à venda no site do nosso parceiro, a ALPHA TICKETS:

Logotipo AlphaTicket

www.alphatickets.com.br

 

Adquirir Ingressos

Inteira: R$ 20

Meia-entrada: R$ 10

Convidamos o público à doação de 1 quilo de alimento não perecível, destinado a entidades assistenciais de Paulínia.

Classificação indicativa: 12 anos


Acessibilidade

Teremos entrada acessível para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, pelo Foyer do Teatro.
Pessoas com deficiência visual que desejarem utilizar o recurso de audiodescrição, terão ingressos cortesia, mediante reserva do recurso, a ser feita pelo telefone (19) 3521-6506 ou enviando seu NOME COMPLETO, RG (e de seu acompanhante) e RÉCITA DE INTERESSE para o e-mail nicoles@unicamp.br. Para este recurso as vagas são LIMITADAS.


Mapa

One thought on ““La Traviata” ópera em três atos, de G. Verdi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *