Orquestra Sinfônica da Unicamp apresenta a estreia mundial da obra Viento y Mar, o encontro da percussão e da dança flamenca de Jônatas Manzolli

Cartaz da Estréia mundial Viento y mar

A Orquestra Sinfônica da UNICAMP apresenta nesta próxima quarta-feira, 27/11, às 20h no Auditório da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP e no dia 28/11, às 20h no Theatro Avenida, em Espírito Santo do Pinhal, a estreia mundial da obra “Viento y Mar” de Jônatas Manzolli, sob a batuta da maestrina Cinthia Alireti e solos de Fernanda Vieira, percussionista da OSU, natural da cidade de Espírito Santo do Pinhal.

Ainda no mesmo programa, a OSU interpreta a Sinfonia n.1 de Felix Mendelssohn e o Adagietto da Suíte Arlesienne n.1 de Georges Bizet que, juntamente com a obra de Manzolli, mostram ao público diferentes expressões da escrita  coral para orquestra sinfônica.

Em “Viento y Mar”, a dança flamenca se encontra com a música de concerto. A coreografia, criada pela solista Fernanda Vieira em colaboração com Manzolli, cria um novo diálogo da percussão com a orquestra. A energia e o ritmo flamenco são representados como encontro do vento com o mar.  Essa obra dá continuidade ao diálogo de Manzolli com a OSU, desde a ópera multimodal “Descobertas”, estreada com sucesso em 2016. A composição é inspirada na Dança Flamenca, nos filmes “El Amor Brujo” e “Bodas de Sangre” de Saura e na música de Paco de Lucia.  O som da orquestra evoca o vento e se mistura às palmas, sapateado, castanholas, pandeiro e cajón.  A Orquestra Sinfônica da Unicamp participa ativamente da cena flamenca, interagindo com a solista no processo rítmico com palmas e outros gestos musicais. “Viento y Mar” começa e termina à beira-mar, onde o vento e a turbulência das ondas se fundem na energia e no ritmo do mar.

Conheça os intérpretes:

Foto de Cinthia Alireti, Fernanda Vieira e Jônatas Manzolli

Cinthia Alireti é regente titular e codiretora artística da Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU). Idealizadora e coordenadora do Fórum Gestão Orquestral e Compromisso Social e do Projeto Identidade, Música e Arquitetura. Realizou edições críticas de óperas barrocas para o Festival della Valle d’Itria (Itália). Trabalhou e se aperfeiçoou com artistas tais como Mark Minkowski, Ton Koopman, Mr. John Poole, Stanley Ritchie, Roberto Paternostro, Rodolfo Fischer, Juan Pablo Isquierdo, John Nelson, Cleber Papa, Sonia Rubinsky, Gilberto Tinetti, Carmen Tellez, John Harrington, Imre Palló, Thomas Baldner, Paige Whitley-Bauguess, Elisabeth Wright. Bacharel em Composição Musical (Universidade de São Paulo), Publicidade e Propaganda (Faculdade Armando Alvares Penteado), realizou mestrado franco- alemão em musicologia (Université de Paris IV – Sorbonne, e Universität des Saarlandes, Saarbrücken) e doutorado em regência coral e orquestral (Universidade de Indiana – Bloomington, EUA).

Fernanda Vieira é mestre em percussão pela UNICAMP, estudou com Fernando Hashimoto (UNICAMP) e Elizabeth Del Grande (OSESP).  Apresentou-se como solista à frente de orquestras do Estado de São Paulo e do Rio de Janeiro e com grupos de câmara em festivais nacionais e internacionais (EUA e Europa). Atualmente é percussionista da Orquestra Sinfônica da Unicamp e desenvolve a criação interpretativa com base na fusão da percussão com a dança flamenca.

Com foco nos diálogos entre música e ciência, Jônatas Manzolli combina a criação musical contemporânea às ciências cognitivas. Sua pesquisa interdisciplinar resulta em obras camerísticas, sinfônicas, eletroacústicas e multimodais. Como “Descobertas” (2016), que celebrou os 50 anos da Unicamp e foi estreada pela OSU, sob a regência de Cinthia Alireti. Com trabalho acadêmico e musical apresentado em diversos países, recebeu em 2018 da Fundação RockeFeller o prêmio “Arts & Literary Arts Fellow”, Bellagio, Itália.  Como professor, compositor e pesquisador do Departamento de Música, IA e do NICS, Unicamp, sua carreira reflete a vocação de fazer da música um processo de renovação dos significados da vida.


A Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU)

Foto da Orquestra sinfônica da Unicamp

Créditos da foto: Marilia Vasconcellos

A Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU) é um corpo artístico profissional, mantido pela Universidade Estadual de Campinas, que está vinculado ao Centro de Integração, Documentação e Difusão Cultural da Unicamp (CIDDIC).

Fundada em 1982, a OSU realiza concertos, óperas, gravações, espetáculos multimídia, programas de educação e formação de público, música de câmara, atuando paralelamente como laboratório de pesquisa em criação e performance musical. Seus projetos também incluem o Fórum Gestão Orquestral e Compromisso Social, que tem por objetivo a atualização de líderes e gestores do meio sinfônico, e o Projeto Identidade, Música e Arquitetura, em parceria com o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), que leva música e história aos prédios e espaços públicos da cidade de Campinas.

Em 2010, lançou o seu primeiro CD, intitulado “Novos Universos Sonoros”, com patrocínio da Petrobras, que reúne obras inéditas de compositores brasileiros, escritas para orquestra e grupos de câmara. Gravou, em 2013, o CD “Panorama da Música Brasileira Vol. 1” e, em 2018, o CD “Teuto-brasileiro”, contemplado pelo edital FICC.

Em parceria com o Ópera Estúdio Unicamp, o Coral Contemporâneo de Campinas e Coral Unicamp Zíper na Boca, fez a montagem das óperas “As Bodas de Fígaro” (2014), “Don Giovanni” (2015), “O Empresário” (2016) e a “Flauta Mágica” (2017), de W. A. Mozart, e ainda pilares do repertório romântico, como “O Elixir do Amor” (2016) de Gaetano Donizetti e “La traviata” (2018) de Giuseppe Verdi. Paralelamente a obras do repertório lírico tradicional, a OSU também realizou a estreia da ópera multimodal “Descobertas” de Jônatas Manzolli, em 2016, e a montagem da ópera barroca “Les Plaisirs de Versailles”, contemplada no edital FICC em 2012.

Com a produção da “A Flauta Mágica” em 2017, a OSU realizou a primeira ópera com recursos de acessibilidade da Região Metropolitana de Campinas.


SERVIÇO

Orquestra Sinfônica da Unicamp apresenta: Viento y Mar, o encontro da percussão e da dança flamenca
27 de novembro, quarta-feira, 20h
Auditório da Faculdade de Ciências Médicas (UNICAMP)
Entrada franca

28 de novembro, quinta-feira, 20h
Theatro Avenida
(Av. Oliveira Motta, 68 – Espírito Santo do Pinhal)
Entrada franca

Orquestra Sinfônica da Unicamp
Fernanda Vieira, percussão
Cinthia Alireti, regência

INFORMAÇÕES: (19) 3521-6506 ou osu@unicamp


Theatro Avenida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *