Barroco OSU: cordas e sopros solistas, cordas e cravo

Cartaz OSU barroco sopros cordas e cravo

A Orquestra Sinfônica da Unicamp (OSU) se apresentará com um concerto de música barroca às 20h do dia 08/08 (qua) no Teatro Ralino Zambotto, em Itatiba/SP, e às 19h do dia 09/08 (qui), na Casa do Lago da Unicamp. A entrada é gratuita e, os ingressos para o concerto em Itatiba serão disponibilizados no museu histórico Padre Lima.

Programa:

A. Vivaldi – L’Olimpiade, Sinfonie

Johann Melchior Molter – Concerto para Clarinete Picollo

Eduardo Freitas, clarinete

Georg Philipp Telemann – Concerto Sonata para Trompete

Samuel Brisolla, trompete

Georg Philipp Telemann – Concerto para Trompa

Bruno Demarque, trompa

Georg Philipp Telemann – Abertura Concertante para Flauta

Rogério Peruchi, flauta e flautim

Cinthia Alireti, cravo e direção

Programa do Concerto

 

Notas de programa:

No concerto desta noite a Orquestra Sinfônica da Unicamp apresenta obras de um dos mais prolíficos compositores do período Barroco. Georg Philipp Telemann (1681 – 1767) escreveu para a maior parte das formas e estilos do período, com uma escrita clara e orgânica. Foi, sobretudo, um dos mais produtivos compositores de todos os tempos, tendo escrito cerca de 3.000 diferentes obras, segundo especialistas.

Sua Suíte para flauta em Lá menor combina diferentes estilos. Uma Overture francesa, uma Aria italiana, ladeadas por uma Polonaise nos apresentam uma variedade e contraste de ambientes que são característicos das suítes barrocas. Em oposição aos pesados contrapontos bachianos, Telemann nos oferece uma música de grande inspiração melódica, o que fica claro no brilhante Concerto para Trompete em Ré maior. Assim como, no seu Concerto para Corno da Caccia em Ré Maior, obra composta entre 1708 e 1714, e que completa uma extensa lista de algumas dezenas de obras para trompa solista, em diferentes formações.

O programa do concerto conta também com o Concerto para Clarinete Picollo em Lá Maior de Johann Melchior Molter (1696-1765), compositor igualmente prolífico que costuma ser apresentado como personagem de transição do Barroco tardio para o estilo galant, sendo ainda, um dos primeiros compositores a escrever para o clarinete como instrumento solista.

O programa desta noite, um verdadeiro florilégio barroco, é primorosamente apresentado pelos solistas da Orquestra Sinfônica da Unicamp (Eduardo Freitas, clarinete; Samuel Brisolla, trompete; Bruno Lopes Demarque, trompa; e Rogério Peruchi, flauta) e será realizado gratuitamente em dois locais especiais: o belíssimo Teatro Ralino Zambotto de Itatiba (no dia 8 de agosto, às 20h) e a Casa do Lago da Unicamp (9 de agosto, às 19h), sala de concertos afetiva de nossa Orquestra.

Alexandre José de Abreu


Teatro Ralino Zambotto


Serviço

Apresentação: Barroco OSU: cordas e sopros solistas, cordas e cravo

Data/Horário: 8/AGO qua – 20h

9/AGO qui- 19h

Local:

8/AGO qua – ITATIBA Teatro Ralino Zambotto, 20h, ingressos são gratuitos, serão disponibilizados no museu histórico Padre Lima, abre para o público 30 minutos antes do espetáculo.

Rua Romeu Augusto Rella, 1100 – Bairro do Engenho, Itatiba/SP, 13255-360

9/AGO qui – Casa do Lago (Unicamp) 19h, gratuito

Intérpretes:

Eduardo Freitas, clarinete

Samuel Brisolla, trompete

Bruno Demarque, trompa

Rogério Peruchi, flauta

Leandro Ligocki, guitarra barroca

Cinthia Alireti, cravo e direção


Biografias

Rogério Peruchi, flauta e flautim

Rogério Peruchi é natural de Americana/SP, onde iniciou seus estudos musicais com João Batista de Lira. Estudou no Conservatório Musical “Carlos Gomes”, em Campinas/SP, e posteriormente na UNICAMP, onde concluiu seu bacharelado em flauta na classe dos professores Sávio Araújo e Maurício Florence. Aperfeiçoou-se com Marcos Kiehl. Participou de diversos festivais, entre eles o de Campos do Jordão, Brasília, Curitiba e Associação Brasileira de Flautistas ABRAF-RJ, tendo recebido orientação com diversos professores nacionais e internacionais, tais como Celso Woltzenlogel, Toninho Carrasqueira (Brasil), Keith Underwood (EUA), Philippa Daves (Inglaterra) Alain Marion (França) Jeannie Baxtresser (EUA) Ernán Jará (Chile), entre outros. Trabalhou como flautista e flautinista nas seguintes orquestras: Orquestra Sinfônica de Americana, Orquestra Sinfônica Experimental de Repertório (São Paulo), Orquestra Sinfônica de São José dos Campos, e também como músico convidado nas Orquestras: Sinfônica da USP, Sinfônica Municipal de Ribeirão Preto, Orquestra Jovem do MERCOSUL (América do Sul), Musical “O Fantasma da Ópera”, Teatro Abril (São Paulo), Orquestra Sinfônica de Santo André, Sinfonia Cultura, Orquestra Filarmônica de Campinas, Orquestra Sinfônica de Campinas, entre outras. Foi instrutor de flauta na Escola Livre de Música da UNICAMP.

Participou de várias gravações de música erudita e popular.

Desenvolve também atividade camerística para flauta e flautim em suas diversas formações, apresentando-se no Brasil e Exterior.

É piccolista e flautista na Orquestra Sinfônica da UNICAMP desde 2004, e da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, e membro do grupo de música barroca “La Follia”.


Foto Eduardo FreitasEduardo Freitas, clarinetista

Natural de São Paulo, Eduardo Freitas iniciou seus estudos na ULM – atual EMESP – no ano 2000, posteriormente ingressou no curso de Bacharelado em Clarinete da Universidade Estadual Paulista (UNESP) tendo como Orientador o Profº Sérgio Burgani.

Participou de diversos eventos, como o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, a Oficina de Música de Curitiba e Oficina de Música de Tatuí, participando também de vários masterclass com renomados artistas, como François Sauzeau, Olivier Patey, Wenzel Fuchs, Ralph Mano, Ovanir Buosi, Cristiano Alves, Luis Afonso “Montanha”.

Participou em 2011 como músico convidado na gravação da Sinfonia nº 4 de Villa-Lobos pela OSESP, e também como músico convidado na Orquestra Sinfônica de Campinas.

Trabalhou com diversos maestros dentre eles, Isaac Karabtchevsky, Lazlo Marosi, Benito Juarez, Dario Sotelo, Osvaldo Ferreira, Roberto Tibiriçá, Yan Pascal Tortelier.

Foi integrante da Banda Sinfônica do Exército Brasileiro, da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, Banda Sinfônica de Cubatão, Orquestra Sinfônica de Guarulhos, Orquestra Sinfônica de São José dos Campos e Banda Sinfônica do Estado de São Paulo.

Atualmente é clarinetista da Orquestra Sinfônica da UNICAMP e Orquestra Rock.


Bruno Lopes Demarque, trompa

Iniciou na infância seu contato com a música, em cornet, por influência do avô eufonista e mestre de orquestra da igreja. Na sua juventude, pôde amadurecer seu ouvido tendo contato com diversos timbres da orquestra, dos quais o da trompa lhe chamou muito a atenção. Então, passou a descobrir com apreço o universo da música e da trompa. Iniciou o bacharelado em música pela Unicamp e graduou-se pela Universidade de São Paulo. Foi orientado pelos Prof. Alex Ado e Prof. Michael Alpert. Vivenciou experiências fantásticas com diversos músicos renomados, orquestras e bandas em sua carreira. Atualmente compõe o corpo artístico da Orquestra Sinfônica da Unicamp.


Foto Samuel Brisolla Samuel Brisolla, trompete

Iniciou seus estudos ao violoncelo. Frequentou o Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, em Tatuí/SP, onde teve seu primeiro contato com o trompete. Samuel fez o bacharelado em trompete na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, em Curitiba. Estudou com o renomado trompetista Fred Mills (ex-Canadian Brass), na Universidade da Geórgia (EUA), concluindo seu Mestrado em Música, com ênfase na performance do trompete. Atualmente é trompetista na Orquestra Sinfônica da Unicamp, na Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e no Sexteto Carlos Gomes. Também foi membro dos seguintes grupos: Quinteto de Metais Ferro Velho, Quinteto de Metais Metalmania, o Quinteto de Metais The Bulldog Brass Society na Universidade da Geórgia (EUA), e a Orquestra Sinfônica do Paraná.

Recebeu alguns prêmios, que incluem: aprovado em 1º lugar no concurso público da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, e 1º lugar no concurso da Orquestra Sinfônica da Unicamp. Foi contemplado com uma bolsa de estudos na Universidade da Geórgia, The Bulldog Brass Society Assistanship, bem como foi semifinalista para o Concurso Nacional de Jovens Solistas 2003 na Orquestra Sinfônica Brasileira, e para o Concurso Nacional de Jovens Solistas em 2004 no Pró-Música Orquestra Petrobras Sinfônica.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *